sábado, 15 de abril de 2006

REMINISCÊNCIA Nº 2

Peço-te que não me deixes deixar-te o meu coração que não mais soa que o turbulento ronronar das minhas vísceras ao te encontrar de encontro a um solstício de meio Verão quando não haverá mais medo).

Sem comentários: