sábado, 18 de novembro de 2006

AMOR?

Amor, pra mim não.
Jurar não me faz bem
e apegar-se é ser refém.
E ele vem sem avisar
e muda tudo de lugar
pra ferir ou cansar o coração.

Amor nada é,
mas inquieta-me demais.
Disfarça-se de bom
de má fé, sem dar tenção
mas é bem pior então,
porque faz querer ainda mais.

Pra que esses tantos prazeres,
calafrios e carícias,
promessas imíscuas?

Amor já não dá.
Não tá na moda mais,
nada de novo traz.
Nunca foi meu estilo,
estraga o meu brilho,
e essas coisas eu deixo pra lá.

Pra que pois deixar-se prender,
sem luta nem nada,
sem nem compreender
que é uma emboscada?

Amor, quero não.
Prefiro cá ou lá
provar de um ou dois
lábios pra só depois
querer-lhes no corpo estar
Mas amor, ah, isso não.

Mark Tindo?

4 comentários:

Claire disse...

Certeza?
O amor é idealizado. Na verdade não é grande coisa, mas as coisas ganham a importância que deixamos.


Beijinho.

mind disse...

hum...pois.. o amor eh um mal-educado entra logo sem s ker saber s dams licença ou n! :D

david santos disse...

Adorei,Mark. Bom trabalho. Não fosse a interrogação e teríamos uma muito melhor sociedade.
Obrigado
Até sempre

Anónimo disse...

Lamour?
um hum hum pas pour moi!
ça m´inquieté de tout.
e ça se deguise en doux.

irra!
/danina