segunda-feira, 29 de janeiro de 2007

ÍMPETOS E REVÉRBEROS

O desejo que trago, em vapores e centelhas, é fragilmente voraz como um incêndio e tão fugaz como o vermelho das rosas ou o sono leve combatido à força de mares de cafeína muda, tremeluzindo em labaredas sob o mantel de mariposas (ou de margaridas) sobre o qual há sempre coisas novas em que se crer, pegadas frescas a seguir ou razões ignoradas, ensurdecidas por carpidos escorridos de desertos nos quais a areia queima os artelhos antes de nelas se afundar até ao pescoço em palavras paranoicas de nebulosas explodindo na cabeça, ecoando sabores só alcançados noutros planos existenciais, ao passo que o corpo se expõe aos mesmos ventos de dúvida e desejo de que dispunha no alto de onde eu espio e no altar de onde eu expio o mundo.

Uma palavra e eu serei absolvido. Um beijo e eu sairei ferido. Um tiro e eu não me erguerei mais. Prometo.

Mark Tindo sorveu outro trago.

5 comentários:

Anónimo disse...

Gosto mesmo muito do que escreves e transmites Mark de uma riqueza impar. Abraço e estarei sempre ao teu dispor amigo
bebo o trago contigo e hip hip hurra ;)

Anónimo disse...

=) grande texto

Anónimo disse...

Não sei quem o disse mas já li:
um Homem é traido por um beijo.

Eu bebo um trago.

bjinhos

Anónimo disse...

Só pra responder a sua pergunta..rs

Sim, ainda estou muito queimada principalmente no peito... coisa de louco... fui inventar de andar no sol com camisa regata, me ferrei..rsrs..

Beijos... saudades da tua presença nos ambientes de convívio...

Gilmar voltou de férias, e estamos planejando ir lá pra casa no final de semana assistir video...

Enfim, se não tiveres nada contra um 2,0 x 2,5 com ventilador, tv, dvd, uma cama e uma estante... estás mais que convidado..rsrs..

Piu.. beijos...rsrs

Anónimo disse...

Passei apenas para te deixar um bjinho