segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

O SOM DOS VENTILADORES

O som dos ventiladores e a luz dos telemóveis têm-me, em noites que beiram o infinito, correndo de sonhos que me infetam com esperanças e medos que eu não quero ter e com certezas de que há algo intrinsecamente errado quanto aos pensamentos que me causam insônia e comigo, que pareço nunca conseguir curar-me de feridas que eu mesmo infligi por toda parte que eu olho, onde há demônios e fantasmas. Embora tudo esteja perfeito; exceto pelo que eu roguei que estivesse.

O sucesso indevido, a alegria faltante e o amor indesejado erguem-me do chão que eu pensei ser estável, iludem-me dissolutamente com farsas efêmeras, ausentando-me do que me instiga com sentimentos trovejantes que se esvanecem como um raio na minha noite cada vez mais escura de céus cada vez mais baixos.

Deve haver algo adequadamente ajustado à espera de mim no futuro, observando-me ternamente (e eternamente) através de tantas nuvens e névoa que me encobrem e circundam, porque em tudo o que eu vejo há memória e perda, e entretanto tudo está perfeito.

Exceto pelo que eu quero que esteja.

Mark Tindo dedica à srta. X., pela inspiração original.

5 comentários:

Anónimo disse...

klker dia vem ai um vento mto forte e leva exax nuvens pra longe ;)
fika bm!

as velas ardem ate ao fim disse...

Acredita que Tu só podes ter algo muito belo à tua espera.A vida vai reservar te algo de bom pela tua pureza.

bjinhos

Anónimo disse...

Antes de mais muito obrigado pelo teu comentário Mark.
É assim; escreve, deita a tua vida nas palavras,como redenção.Nessa procura do mais puro sentir, mergulhe e lava a tua dor momentânea, para logo ressuscitares melhor e mais leve. abraço forte

Anónimo disse...

x e bolinha.
quem eh a velha do jogo?
Uma preta velha sentada ao sol.
e ela joga.

Xian disse...

"O sucesso indevido, a alegria faltante e o amor indesejado erguem-me do chão que eu pensei ser estável, iludem-me dissolutamente com farsas efêmeras, ausentando-me do que me instiga com sentimentos trovejantes que se esvanecem como um raio na minha noite cada vez mais escura de céus cada vez mais baixos."
Nem uma palavra a mais. Nem a menos.
Inspiras-me!