segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

ONDE HOUVER DANÇA

      Esta noite ela não quer pensar em amor. Ela não quer pensar em planos, promessas, futuros, passados. Esta noite ela vai aonde houver dança. Hoje ela quer dançar até esquecer que quer chorar. Ela ama a noite. Ela quer tudo o que possa ganhar e o que quer que isso pressuponha. Hoje ela será Hipocleide. Hoje ela trilhará a senda molhada dos humores da insânia. Ela vai convidar-se a deitar em leitos despertos, a ser guiada mansamente por peles alheias, a refrigerar-se a alma em corpos de estranhos cujas línguas ela aprenderá, cujas cadências ela sentirá ecoando sabores só alcançados noutros planos existenciais. Hoje ela será frívola e decadente pra surpreender a sua vida falta de surpresas. Hoje ela vai dançar. E dançando procurar-se em tantos quanto puder, pra descobrir aonde ela errou.

Sem comentários: