sexta-feira, 30 de abril de 2010

SAGITTAE DOMINI IN ME SVNT

ou OS TERRORES QUE MILITAM CONTRA MIM



terça-feira, 6 de abril de 2010

MAELZEL

Diante de mim, ele mira-me cabeça adentro, quase através, dum olhar que evito qual a credores e dívidas antigas. São olhos de Diana no bosque, venatórios e sem vênia, que não fitam a presa quando a faceiam. Invés, inclemente imperador, instilam no íntimo inânimes pavores, desafiadores, ameaçadores ― como os dum morto quando estes brilham.

Moveu-se primeiro, tomou para si a guia. Por mais que o tentasse deter, consumia-me a cada vez que me consumia ― num mover-se de mão entrecortado, impassível ― membro a membro. Burlou-me, logrou-me, jogou-me como quis; e eu, outrora mestre, me vi aprendiz de olhos frios quando estes brilham.

Diante de mim, ele mira-me, de vista vidrada, quando me ecoa a sua voz, metalina, indiferente, cabeça adentro, quase através:

― Xeque.