sábado, 11 de junho de 2011

GRACIOSO COM SÚBITO JÚBILO

No nosso prado, onde pastam equinos
em flores silvestres de primavera a pino,
gotejos de anis preenchem o ar de aroma.

De sob sopros de bruma recendem
vapores que ao repouso despendem;
a estação desperta matura virtude.

Regato onde deusas alvejam linho
a vir despejar néctar divino,
enche taças de ouro fino,
gracioso com súbito júbilo.

Aqui rosas fazem sombras pelas eiras,
fontes borbulham dentre macieiras,
enquanto chovem folhas tremedeiras
em profunda hibernação.

Sem comentários: