sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

PAZ

Num longo dia, tal qual este que acabo, tão atordoado, pouco dado a afeição, afeito a feitos sem razão, um sorriso salvou-me a alegria. E, com esse afeto no meu dia, apesar de todas as vicissitudes, solitudes tão populosas, glosas novas tão antigas, vou dormir feliz. Em paz. Paz pra mim. Paz pra Marte. Amém.


Sem comentários: