quarta-feira, 23 de maio de 2012

A CIDADE ARDE

Hi...
Já faz tempo que caminhas e não sentes doer os pés. Eu sei: já te sigo há um pouco. Olhas com teus olhos negros cansados e não me vês e passas adiante e te sigo mais um pouco. O que digo?

Que dizer? Quem teria dito antes de mim que um dia andaria atrás de ti, como quando um homem busca Deus, esta corrida não tem nexo, se o nexo já perdi atrás de ti. Queria-te. Queria te odiar um pouco sem nem menos te amar e queria te amar depois, sem nem menos te conhecer, enquanto a cidade arde em torno a nós. E nem me importo.

Hi...
Já faz tempo que caminhas e nem sentes que, enquanto a cidade arde, matas cada olhar com que cruzas. Eu sei: já te observo há um pouco. Mas, se te perdes nos meus teus próprios olhos cansados, e me iludes e passas adiante, talvez eu espere um pouco mais pra te dizer...

Quando dizer? Quem teria dito antes de mim que um dia perderia tempo atrás de ti como quando um homem busca Deus e não acha e enlouquece: enlouqueço se ficar ainda sem te ter. Queria te odiar um pouco sem nem menos te amar. E queria te amar...

Hi...
Já faz tempo que caminhas e nem me sentes que te sigo e te observo... E me matas. E nem me importo. Queria-te. Queria te amar.

Por que dizer? É como quando homem perde Deus: eu não quero compreender que no fundo cá não estás, e me agarro mais ao sonho meu. E assim te deixo passar adiante e findar os dias, os teus dias, na minha mente, do meu lado.

Hi... 
A cidade arde e tu, que dizes? Se eu te parar, se eu te falar, que é que dizes? Mas cá já não estás. Não mais.

terça-feira, 1 de maio de 2012

O ESPECTADOR


Vossas mãos parecem prender
Tão forte, a tua à dele,
Vossos olhos têm tanto a se dizer,
Que é estranho baixar os meus.

Vossos passos devoram a hora 
Ladrões do tempo que vem.
Cruzo a tua rua, e vejo-vos agora,
E seu amor cai-te bem...

É um crime que te espione?
Só diz respeito a mim!
Quem um dia amou me perdoe
Por não crer num tal fim.

Um inverno sobre mim a cair:
Como ver o amor que esgarça,
Quando alguém mais te abraça?

Um inverno sobre mim a cair:
Como ver o amor rasgar,
Quando se perdeu o lugar?