sexta-feira, 9 de novembro de 2012


Tenho desejos escritos no alto, que vão voando. Cada pensamento é independente do meu corpo, que farão do mal presente "somente" e "ainda".

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

PORQUE

Porque agora eu sei diferir joio de trigo, riso de pranto, obra de esquisso, dúzia de meia, vara de cajado, escudo de broquel; porque eu já não preciso de tantas palavras; porque eu sei fazer arte do que há de pior; porque eu vi a luz e vim do futuro; porque eu fui ao passado e, dos muito poucos, eu sou menos ainda.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

SIMPLES

Velho, cansado, incapaz, ainda sem talentos, ainda incompleto e ainda sozinho (sempre sem saber ao certo quem era), já não procurava nada, tampouco esperava muito. Mas importava que ele, que nunca suficiou a si, não tentava mais se suficiar nos outros. Não corria mais; não tinha mais obrigações, nem se impunha mais nenhuma. O seu coração não era mais o mesmo, não sentia que doía mais; às vezes nem sentia que batia mais. Após muito caminhar, sentou-se resoluto, e salvaguardou o seu coração reconfortado do conhecimento de que ser feliz é simples (mas não fácil), porque tudo importa, mas nada é suficiente.