sábado, 26 de janeiro de 2013

É um mundo cão.
É uma luz insensata.
É uma falha ignota.
É mentira que mata.
É um erro imêmore.
É um choro que sai.
É mais nada a dizer.
É a noite que cai.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

VIDA VAI (ESVAECER)

Dizes nada bem já estar.
E eu, que te senti sem razão,
Tudo começava a mudar.
E perdi-me na chuva só, então.

E a vida a esvaecer.
Toda a vida vai
Esvaecer.

Dizes fado já nos vir,
Como eu acreditei que não.
E tudo começa a cair.
Perde-se no deserto só, então.

E a vida a esvaecer.
Toda a vida vai
Esvaecer.

Nuvens negras vão e vêm
Entristecer corações
E desertamos. Porém,
Sós, perdidos, sem razões.

E a vida a esvaecer.
Toda a vida vai
Esvaecer.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

É o signo de um verão que eu sonhei um dia não acabasse mais...

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

A consciência inteletual não é menos indispensável que a melhoria material. O saber é um viático, o pensar é uma necessidade primária, a verdade é comida como o frumento. Uma razão, ao jejum de ciência e sabedoria, adelgaça. Compadeçamo-nos, tanto como com os estômagos, com os espíritos que não comem. Se houver algo mais desgarrador que um corpo agonizando por falta de pão, é uma alma que morre por fome de luz.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

CÉU AQUI

Somos os únicos a senti-lo:
Hoje bebemos, hoje dançamos com os últimos que sabiam;
Gritamos aos sussurros, cansamos de aguardar,
Tomamos o que queremos, e deixamos o que sabemos.

Ainda sonhamos o nosso sonho fúnebre, nus e atados, torcidos amados
E hoje seremos os únicos a senti-lo.
Então deixa durar,
Deixa durar.
Deixa o fogo cercar-nos, deixa arder, deixa queimar.
Deixa tudo o mais para trás:
Eis o nosso céu.

Fomos bravos e partimos;
Rompemos e vazamos,
Salvamos o que pudemos
E o céu não nos espera: esparge segredos.
Está dentre nós e já não há escolha além de crer,
Então deixa durar.

Nus e atados, torcidos amantes,
Hoje seremos os únicos a sabê-lo:
O céu é aqui.