domingo, 24 de março de 2013

Não disse nada, não elaborou nenhum plano, não aprontou as malas, não teve medo, nem pensou, na verdade. Só resolveu. E assim fez.

Era cedinho, a alvorada duma manhã inaudita, ou invisa, quando abriu a janela, cheirou a brisa, tirou a camisa, franqueou os braços, fechou os olhos e saltou.

Sem comentários: