terça-feira, 9 de abril de 2013

E em meu braço, onde é teu travesseiro — e o teu seio, que é o meu — adormecido, és tão parte de mim, que agora eu olho a casinha e me sinto um cãozinho também...

1 comentário:

Anónimo disse...

when the dark night seems endless
please remember me...