segunda-feira, 27 de maio de 2013

OITAVO DIA

No oitavo dia, Deus, depois de tanto trabalhar,
Para liberar tensões duma sequência criacional,
Disse: "Tudo é muito bom. E é hora de descansar."
E se foi dar um passeio pelo espaço sideral.

Quem iria imaginar que o mesmo Deus, ao regressar,
Ia encontrar tudo numa desordem infernal,
E que se ia transformar num desempregado a mais,
Dessa taxa que anualmente está crescendo sem parar?

Desde então, há quem o haja visto
Só, pelas ruas, a transitar:
Anda esperando paciente por alguém
Com quem, ao menos, tranquilo
Possa conversar...

E se à falta de ocupação — ou excessiva solidão —
Deus não resistir e alhures vá lugar a procurar?
Seria a nossa perdição! Não haverá remédio que não
Adorar a Michael Jackson, a Bill Clinton, a Tarzã...

É mais difícil ser rei sem coroa
Que uma pessoa mais normal.
Pobre de Deus, que não sai em revista,
Não é modelo, nem artista,
Nem de família real.

Sem comentários: