terça-feira, 31 de dezembro de 2013

DESEJO

Desejo-vos desejos. Muitos. Vontades inconsumadas. Necessidades que rogam, abstinência doloridas. Desejo-vos muitos desejos, sem os quais seria debalde prosseguir. É a falta que nos empurra, a busca pelo que não há perfaz-nos em nossos anseios, definem-nos no que queremos e, por isso, no que somos. Portanto, desejai, amigos, desejai. Desejai o que não tendes, cobiçai o que se vos ausenta. E, quem sabe, na procura encontrareis o sentido para tudo.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

FRAGMENTO / SENTIMENTO

Um pouco timidamente os óculos tiraste pra me ver melhor depois de tantas voltas dadas ao mundo, pelo mundo, rodear a Terra e passear por ela. Senti que tu sentias que mudei e mudaste e, em me abraçando, tanto te maravilhaste que eu ainda fosse triste e que paz não encontrasse, mesmo desde há tempo que não te havia abraçado, e naquele silêncio eu disse baixo:
"Sinto muito".
Mas foi bastante pra um sussurro escondido fazer chorar, fazer lembrar e retornar àqueles dias antigos tão perdidos, quando em verão o céu se transformava em mar e eu escutava-te a meia-voz, à meia-luz, à meia-noite, sem sabermos ainda ser felizes.