terça-feira, 31 de dezembro de 2013

DESEJO

Desejo-vos desejos. Muitos. Vontades inconsumadas. Necessidades que rogam, abstinência doloridas. Desejo-vos muitos desejos, sem os quais seria debalde prosseguir. É a falta que nos empurra, a busca pelo que não há perfaz-nos em nossos anseios, definem-nos no que queremos e, por isso, no que somos. Portanto, desejai, amigos, desejai. Desejai o que não tendes, cobiçai o que se vos ausenta. E, quem sabe, na procura encontrareis o sentido para tudo.

Sem comentários: