domingo, 13 de abril de 2014

DIA DE JANEIRO

Nos conhecemos em janeiro
Com a lua no nariz
E, como vi que eras sincero,
Em teus olhos me perdi.

Que torpe distração,
Que doce sensação...

Agora andamos pelo mundo,
Como Eneias e Odisseu,
E eu encontrei rasgões profundos
Que alguém algures te deu,

Mas o meu louco amor
É o melhor doutor:

Vou te curar o peito covo,
Irei deixá-lo como novo
E tudo vai passar 
Logo verás o sol brilhar.
Tu, mais que tudo,
Mereces ser feliz.

Já vais saber
Como vão sarando pouco a pouco as feridas,
Já vais saber
Como vai
A mesma vida decantar
O sal que sobra no mar.

E mesmo alheio ao que se passa,
Mesmo em teu próprio país,
Se eu te digo que isso é "massa",
Ainda dizes que é "fixe"

E choras de emoção
Ouvindo um violão.

E, se pareces desligado,
Com esse caminhar pausado,
Conheço a razão
Que faz doer teu coração,
Por isso quis eu
Fazer esta canção.

Já vais saber
Como vão sarando pouco a pouco as feridas,
Já vais saber
Como vai
A mesma vida decantar
O sal que sobra no mar.

1 comentário:

Rodrigo Slama disse...

No próximo janeiro, quem sabe...